segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Aprendendo com as Tradições Espirituais

imagem: google
"O desejo é o jorro do mais primordial e profundo no ser Humano. (...) Entretanto, dois milênios e meio antes de FREUD, Buda já apontava para este horizonte. Em seu primeiro e notável DISCURSO, após a iluminação, o Desperto fala das QUATRO NOBRES VERDADES. A primeira afirma que a existência implica em sofrimento, a segunda decifra a causa do 
sofrimento: o desejo egoísta ou o apego ao desejo. A terceira postula a possibilidade de TRANSCENDER o sofrimento, pela superação do apego. E a quarta nobre verdade, prescreve a via do meio, que evita os extremos.

Neste cenário, Buda diferencia-se substancialmente de Freud, indicando para muito além de uma infelicidade suportável, introduzindo o centro flamejante, no interior do labirinto dos desejos, indicando a mandala de LUZ no coração da carência. Há uma solução (...) a compreensão justa, a ação justa, o pensamento justo, a palavra justa, o modo de vida justo, o esforço justo, a concentração justa e a meditação justa.

(Roberto Crema - Livro: Mensagens do Deserto - p.52)