terça-feira, 8 de dezembro de 2009

PSICOTERAPIA – “Um direito de todos, um dever do Estado...”



Por Cynthia Marsola
Psicóloga

“...a terapia é baseada em relacionamentos, não somente numa teoria.”

(Irvin Yalom)



Todo mundo conhece alguém próximo ou distante seja um familiar, amigo ou colega de trabalho que necessita de uma ajuda profissional por sentir-se num vazio existencial ou por ter alguma dificuldade psíquica, seja num grau mais moderado ou aquele de ordem mais persistente (psiquiátrica).

Quando nos deparamos necessitando de um cuidado na SAÚDE muitas vezes, ficamos relutando e protelando tal auxílio até que em detrimento de algumas situações não conseguimos segurar mais e então, cedemos.

Nesse momento...

- Como e onde procurar um profissional de confiança?

É aconselhável que o profissional de saúde seja cadastrado no seu conselho de classe, assim lhe dará maior segurança e credibilidade em seus serviços prestados, o que não garante, que seja um bom profissional. O ideal seria, através de indicações de pessoas que usam ou usaram os serviços prestados do profissional em questão, assim lhe dará maior confiabilidade. Afinal de contas, a terapia acontece num bom relacionamento empático com o terapeuta e o seu cliente/paciente.


- Como sei o que necessito – um Psicólogo ou um Psiquiatra? Onde devo ir primeiro?

Escolhido o profissional de sua preferência, ambos irão conversar e colher dados à respeito do que está acontecendo, ou seja, o que lhe aflige para precisar de um “auxílio”. Depois será encaminhado no que for mais necessário no momento.

Não existe uma regra psicólogo primeiro ou psiquiatra, depende muito da queixa e do que está acontecendo. Alguns casos só com atendimento psicológico a pessoa melhora, outros necessitam de um respaldo mais intenso para sair da situação de conflito/desconforto, como por exemplo - uma medicação, então, busca-se um médico o psiquiatra. Mas ainda temos alguns casos em que só o profissional não é suficiente, precisa de intervenções como internações.


- E se eu não conseguir pagar uma psicoterapia particular, fico sem ajuda?

Depois de escolhido o profissional de sua preferência, no caso particular, o ideal seria vocês conversarem sobre as possibilidades cabíveis no financeiro para ambas as partes. Se ainda assim, ficar inviável o Estado disponibiliza outros recursos como: Clínicas Psicológicas Sociais (ligadas as universidades e instituições de especialização) e o Hospital das Clínicas de São Paulo (instituto de psiquiatria). Para os casos mais graves diagnosticados como emergências psiquiátricas, dispomos do CAPS (centro de atenção psicossocial), o CRATOD (centro de referência de álcool, tabaco e outras drogas) e em algumas UBS (unidades básicas de saúde).

Agora que você já conhece um pouquinho, o ideal é que você não fique parado e deixe as coisas e situações na “zona de conforto”! Levante a cabeça, força e coragem.

VOCÊ MERECE UMA TERAPIA.